Oscar Mijallo romance a guerra na Síria | Viajar de Primeira

O romance do jornalista Oscar Mijallo resume vários dramas da guerra na Síria.

Kailas editorial publicado A menina para os portões do inferno, o primeiro livro de Oscar Mijallo

A menina e as portas do inferno usando um tempo de repouso na romântica –e alguma vez encolher – montanha de livros em circulação. E olhe que, eu como as edições do Kailas, entre os quais eu me lembrarei para sempre ; ou delicadeza .

Mas A menina as portas do inferno esperou pacientemente a sua vez; quando ele chegou, parecia-me um romance potente, talvez porque eu achei ele muito cheio de lugares comuns. No entanto, perseverou, e até o final deste primeiro romance de Oscar Mijallo eu reconheço que eu gostava, que envolve e convence; portanto, eu recomendo para quem gosta de romances de corais, colado ao presente, tingida com jornalística e de diferentes níveis de leitura e reflexão, sem sacrificar a ação e um ritmo de crescimento constante.

A menina às portas do inferno é uma teia de histórias pessoais sobre a guerra na Síria, que servem para Mijallo refletir sobre a verdade: uma família de refugiados, correspondentes, ansioso e obrigado a cobrir o conflito; os terroristas matriculados, por várias razões; guerrilheiros empurrou para as armas, tráfico de pessoas que são enriquecidas, os pontos de passagem… As vozes se alternam com a habilidade e a uma profundidade de pessoal que supera a resistência da primeira destas páginas previsível. Após a narrativa, percebe-se o pulso do jornalista que já pisaram a terra em mais de uma ocasião: a documentação, o trabalho antes de as crônicas de televisão, pode ser visto por trás de muitos perfis e diálogos, muitas das passagens que dizem mais do que aquilo que você tem.

Além de o ritmo e a lidar com um tópico atual –o que faz uma fonte de informações com as quais a completar os fragmentos de notícias da tv- A menina e as portas do inferno se move, entre as linhas, algumas preocupações e reflexões sobre a verdade e a mentira, o amor, a raiva e a manipulação ideológica que, do meu ponto de vista, o valor acrescentado de ser feito por alguém que tenha visto, na pessoa de muitas das situações extremas aqui narrado, e que, apesar de ser tão antiga como o mundo, que a falta não só de respostas, se não soluções. Embora Mijallo, no final, parece piscar um olho para a esperança.

O que: A menina e as portas do inferno, Oscar MIjallo.

Quem: Kailas Editorial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *