O crime é diversificada e desafios para empresas de segurança | de Alto Nível

.

De alto Nível que apresentou na segunda e última parte de seu relatório sobre a história das empresas de segurança privada e a indústria de seguros.

O braço de segurança privada

Roubos de negócios e centros comerciais continuam a afetar as atividades produtivas das diferentes regiões do país.

Roubo de negócios aumentou de 29% no ano passado, em comparação com a 2016; ele levantou a roubo a pedestre, 25% e 23% de roubo de transporte dentro das cidades, de acordo com dados que expõem a AMESP.

“O roubo a transeunte tem vindo a aumentar consideravelmente”, diz Roberto Rivera Mier, presidente da AMESP.

Os países desenvolvidos têm feito um grande investimento em segurança, como é o caso dos Estados unidos. No entanto, no México, não alocar mais recursos em relação a isso.

As empresas americanas têm feito um investimento maior em controles de acesso (85%), circuito fechado de televisão (80%), segurança alarmes (66% de alarmes), guardas de segurança (65%), formação de pessoal (56%), segurança de perímetro, filtros e seleção de pessoal, de acordo com pesquisas da AMESP.

Aeroportos, centros comerciais, empresas e outros espaços onde a segurança privada está presente pode ser beneficiado pelo aumento do valor do investimento.

Os serviços mais conhecidos entre as empresas de segurança privada são: segurança privada por pessoa e bens; serviços de alarme e monitoramento eletrônico; e a transferência de bens e valores.

O tamanho do músculo da segurança privada no México é 5,424 empresas, das quais 77% são locais, isto é, eles realizam atividades em um único estado, e os 23% restantes são empresas que necessitam de uma autorização federal para operar, como se a sua presença for superior a dois entidades, de acordo com os dados mais recentes da Direcção-Geral de Segurança Privada.

A indústria aeroespacial e automotiva na área da Região demandam mais serviços de segurança para o transporte dos seus bens.

A informalidade

Um dos maiores inimigos das empresas de segurança privada no país é a informalidade em que operam, alguns jogadores no mercado. “Na AMESP surpresa para nós que há alguém que você contratar”, diz Rivera, que diz que é difícil quantificar o número de empresas informais.

Neste sentido, é importante rever as permissões e identificações da física pessoal das empresas de segurança.

O crescimento das empresas de segurança privada alcançada em 2017, perto de 16%, explica o executivo.

O desafio para as empresas de segurança é para aumentar os salários e os níveis de formação para todo o pessoal de segurança, um esforço que requer o empenho das autoridades no campo da segurança pública.

“Cada vez que você fizer principais controles para impedir a infiltração e que o pessoal que não deve ser em nossas fileiras para introduzir”, diz Rivera Qua, mesmo que ele sabe que existem desafios maiores.

A associação visa profissionalizar a mais de 100.000 trabalhadores no setor de segurança parceiros, para melhorar o quadro regulamentar e criar a câmara de segurança privada.

A maioria das empresas do sector da segurança privada a partir do estrangeiro.

O que gold-plating?

Rivera Mier foi focada na área de segurança humana e eletrônica. Durante o ano passado, o executivo mexicano está localizado na frente da AMESP, uma organização fundada há 5 anos, com a missão de representar empresas perante as autoridades.

A tecnologia avança a passos largos para as empresas de segurança.O quadro regulamentar no México, tem alguns bloqueios que fazem o progresso lento inovações no setor. A regulamentação ainda em atenção o observador

A federação, estados e municípios são os que regulam a actividade das empresas de segurança a ser uma atividade paralela

“Temos um gold-plating impactos quando ele não estiver alinhado e não têm processos aprovados”, garante Roberto Rivera.

O executivo considera urgente a modificação do quadro regulamentar para as empresas do setor, como as empresas precisam se adaptar às novas necessidades de operação impostas pelo mercado, como o de tecnologia.

“Precisamos avançar muito mais rápido do que o que estamos fazendo para a execução temos mais de ordem e não são surpreendidos crime como pode acontecer”, explica Mier.

Empreendedores que buscam a criação de uma lei nacional, que unifica os critérios de operação para todas as empresas que estão envolvidas na indústria de segurança e tornar transparentes os processos administrativos e economizar dinheiro.

Atualmente, as empresas pagam processos administrativos antes de três ordens de governo no México e em conformidade com os requisitos operacionais em vários custos.

A AMESP foi feita uma frente comum com as organizações do sector para o legislativo, para apresentar um projeto de lei durante este primeiro semestre de 2018.

“Está cozinhando na cozinha legislativa um projeto de lei sobre segurança privada e estamos ansiosos para participar de modo que ele possa ser uma realidade”, revela Roberto Rivera.

Seguro contra o crime

No final de janeiro último, 90,975 carros foram roubados, o que representa um aumento de 25%, isto é, cerca de 10 unidades foram roubados a cada hora, por toda a República Mexicana. Uma figura que não é nada lisonjeiro.

“Esta é uma figura que, a cada vez que você vai subir”, diz Carlos Jiménez, da AMIS.

As entidades do país que a maioria dos veículos roubados foram em 2017 foram no Estado do México, e a capital do país, seguido pelo México, Puebla e Veracruz, enquanto os estados em que eles são roubados mais veículos são Jalisco, Veracruz e Nuevo León.

“Temos encontrado de veículos roubados para fora do país. A fronteira sul está se tornando um lugar onde estamos passando estes veículos”, diz o especialista em seguros.

O valor do total do número de carros roubados durante 2017 atinge 14.000 milhões de pesos, superior a 13.000 milhões de pesos alocados no Orçamento das Despesas da Federação no campo da Cultura. Esse é o tamanho do problema.

“Temos um forte foco sobre onde precisamos implementar preventivas mecanismos para parar o crime”, diz Carlos Jiménez.

O setor de seguros foi registrado apenas 30% da frota de veículos. Uma pessoa que não tem seguro para o carro poderia ter danos de uma plantação de 145 000 pesos, valor que reflete o custo médio de um veículo a motor.

“O roubo é um freio para o desenvolvimento econômico de muitas maneiras”, afirma Carlos Jiménez, que explica que há mais razões para se preocupar e para encontrar soluções para combater o crime.

Você pode também estar interessado em:

Outros crimes

A comissão de crimes associados ao roubo de carros, já que o crime usados os veículos para cometer novos crimes.

“Os carros roubados, nem criada nem destruída, apenas transformada”, diz Carlos Jiménez, que diz que apenas 36% dos veículos roubados no começo deste ano, foram recuperados

A indústria está atenta às 3 contextos de preocupação: a obtenção de figuras históricas sobre o aumento de furtos, aumento da violência e a baixa recuperação de veículos; mudança na composição de assaltos e o uso da propriedade roubado; e a vulnerabilidade da sociedade civil, já que dois de cada três veículos no México não tem seguro.

“O roubo do carro de uma janela que nos permite estudar o contexto de insegurança em um nível mais geral”, diz Jimenez Palacios.

A indústria de seguros está atento aos números que mostram um aumento da insegurança.

“Temos de trabalhar muito de mão de nossas políticas públicas na prevenção e reativar a segurança jurídica, que seria garantir a Repuve”, diz Jimenez Palacios.

Tanto Carlos Jimenez, da AMIS, como Roberto Rivera, da AMESP, você sabe que o crime está avançando aos trancos e barrancos, e eu vim para o tempo para superar o desafio imposto pelo crime,

Roberto Rivera acredita que é o momento para as empresas a encontrar soluções, mas também que as autoridades de avançar no mesmo caminho, “o México está em uma situação muito específica e difícil de comparar. Temos de ver que a implementação de políticas públicas para ser mais abrangente”.

Comentários

Você pode estar interessado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *